Sim, educar é podar! Mas também é adubar, regar e… iluminar!

Educar é podar, educar é podar… muitos pais e muitas mães por aí já ouviram essa máxima e a põem em prática todos os dias. E com razão!

Educar não é fácil, e o único conselho que posso dar pra você que sempre busca o caminho mais fácil é: não tenha filhos.

Pra quem quer tê-los, ou já os tem, as coisas ficam ainda mais complexas, e também mais divertidas, quando a gente começa a pensar em 4D e se lembra que aquele(s) animalzinho(s) travesso(s) também é um ser humano que um dia vai se tornar adulto.

Outra máxima em educação é a de que “não existe fórmula mágica”. Concordo. Por isso não espere que eu lhe dê um protocolo mastigado de “como criar um adulto feliz”. O que segue é apenas uma analogia com a jardinagem.

Educar é adubar

O adubo pode não ser estritamente necessário, mas ajuda bastante no bom crescimento da planta. No que nos diz respeito, “adubar” é tudo o que os pais fazem de aparentemente superficial que ajuda no crescimento da pimpolha ou do pimpolho: a gente brinca, leva no parque, faz bolha de sabão,  ajuda a desenhar uma casinha, dá beijos… todo ser humano é capaz de crescer sem tudo isso, mas que é melhor assim, isso é! O ponto mais importante aqui é o de que seres humanos nunca devem ser adubados com esterco!

madagascar-baobab-afriqueCactos e baobás podem crescer lado a lado na savana, só que enquanto cactos são espinhudos, baobás tem raízes profundas… e enquanto cactos são capazes de crescer numa fenda na rocha, baobás precisam de terra. Essa é a importância do solo, ou seja, o ambiente em que a criança vai crescer. Ela vai se adaptar a ele, não importa se é uma fazenda perdida no meio da Amazônia ou uma cidade grande, é melhor ajustar o adubo de acordo com isso. E não se surpreenda se a criança se comporta de maneira completamente diferente em casa e na escola.

Educar é regar

Todo vegetal precisa de água, e em intervalos precisos, que podem variar de acordo com a estação do ano. “Regar” pra nós aqui é tudo o que há de essencial pra sua pimpolha e/ou pro seu pimpolho crescer. Comida, água, um mínimo de higiene, cuidados essenciais de saúde… acho que a maioria dos pais que conheço colocaria a escola e o esporte nesta categoria; mas também conheço alguns que consideram escola e esporte como não tão essenciais assim.

Educar é iluminar

Esta é provavelmente a parte mais difícil. Mães e pais não têm controle sobre a luz que irradiam. Aquele pai que vive dizendo aos filhos que é muito importante estudar pra conseguir um bom emprego, e que é muito importante trabalhar para poder comprar coisas, mas que chega

iu

Foto de Ira Runyan (link)

em casa esgotado e que nunca consegue pagar um passeio com os filhos, não vai conseguir bloquear a mensagem eletromagnética que martela na cabeça dos pequenos que trabalhar é cansativo e não vale a pena. A luz que irradiamos é programada muito antes de termos filhos. Felizmente ela pode mudar dependendo das decisões que tomamos, mas é preciso pensar nisso!

 

Obviamente os pais não são a única fonte de luz pras crianças. Cada ser humano que ela vai cruzar, familiares, vizinhos, professores, colegas, e também cada personagem fictício de todo esse bombardeio cultural que ela recebe, emite fótons que ela vai captar, uns mais, outros menos. E essa falta de controle quase total faz com que iluminar seja a parte mais difícil do processo.

Educar é podar

É óbvio. Só não poda quem não tá nem aí pros filhos, não se preocupa com como será viver com eles e como será a vida adulta deles. Só que existe a hora de podar, e o jeito de podar. Uma planta bem cuidada é sempre podada com uma tesoura, e a gente olhgrass_cuttinga muito bem antes de cortar.  Quem quer podar rápido usa um cortador de grama a motor, e obtém um gramado lindo de olhar, pronto pra ser pisado.

Quem pensa em 4D acaba pegando mais leve. Esse tipo de pais que sabem que, a cada poda, um pouco de iniciativa se vai. Junto com um pouco de criatividade, ousadia, curiosidade ou de energia, ou de tudo isso junto, e tudo isso vai fazer falta mais tarde. Eles preferem dizer “que tal fazermos…” ao invés de “não faça!”, e no processo acabam iluminando ao invés de só podar. Eles querem que seus filhos tenham sonhos e que tenham capacidade de realizá-los, mesmo que precisem de empregados obedientes para isso, e… Errr… hmmm… pensando bem,

Não, não, nada disso, fernandohenrique-me imediatamente. Sim, esqueça tudo o que escrevi. Afinal, não sou pedagogo, nem agrônomo, e toda essa pataquada de se preocupar com ambiente, carinho, exemplo é complicada demais pra quem passa duas horas no trânsito e dez horas no trabalho todo dia. Continue apenas repetindo pra si mesma(o) que “educar é podar, educar é podar, educar é podar”.  Valeu hein, um abraço!

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: