Papai, descobri que sou… FEMINISTA! — PROIBIDO PARA MULHERES —

Pois é, um tempo atrás, conversando com um conhecido, confessei que estava começando a concordar com as feministas. “Tem certeza de que ainda gosta de mulher?” — ele perguntou.

Tenho, pobre alma ignorante. E cada vez mais.

O que querem as feministas? Entre outras — e mais importantes — coisas, elas também querem poder andar sem camisa e dar mais gostoso, pra quem quiserem, sem se preocupar com o que o(a)s outro(a)s vão dizer no dia seguinte. Elas querem liberdade. O que me faz transferir a pergunta a você, que acabou de ler isso e ainda é contra o feminismo:

Tem certeza de que gosta de mulher?

Mas não precisa responder, sua opção sexual não interessa nem a mim, nem ao feminismo. Isso foi só pra dar aquela pegada no texto, taticazinha pra segurar o leitor. Assim como a história de “PROIBIDO PARA MULHERES” no título, eu não sou de proibir nada, meu povo. Enfim, voltemos ao assunto.

O feminismo não busca a superioridade da mulher sobre o homem. Isso não seria feminismo, seria apenas machismo transexual. Não. As feministas buscam igualdade de direitos, igualdade perante as leis escritas e não escritas. Como não são tão obcecadas pelo poder, elas conseguem conceber um mundo em que não é preciso ter um sexo dominante, o que entra na mesma linha de que não é preciso uma religião dominante, uma cor de pele dominante, um país dominante… o que concorda perfeitamente com este blog.

É fácil achar textos sobre o feminismo com o seu site de pesquisa favorito. Se você cair em algum forum de discussão, é provável que você ache de tudo: da mais admirável sabedoria à mais desprezível ignorância. Nas minhas breves pesquisas, caí neste texto aqui, escrito por um homem. Acho que é um bom começo, depois dá uma olhada lá (ou adicione sua sugestão de texto nos comentários), porque não vou entrar nos mesmos detalhes, ainda estou começando a descobrir o feminismo.

O feminismo não quer que o macho seja menos macho. Bem pelo contrário, o feminismo denuncia a falta de machos de verdade. Olha só, naquele caso  em que cinco covardes estupraram uma estudante indiana dentro de um ônibus em Nova Deli, faltou macho. Faltou um macho que desse uns croques naqueles cabeças-de-bagre e impedisse-os de fazer o que fizeram. Faltou um macho no estilo desse aí, 1’20” no trecho abaixo:

E nisso também tenho que concordar com as mulheres que dizem que falta macho de verdade no mundo.

Uma guerra em que não dá pra ser neutro

Não dá, pois enquanto faltam machos, não faltam machistas, e a maioria dele(a)s não tem consciência disso.  Mesmo no mais garantido segredo, poucas pessoas vão assumir serem machistas. O exército machista recruta sem que a gente se dê conta. Isso faz parte da cegueira branca que o feminismo ajuda a curar, e se você tem um mínimo de consciência, vai ver que o machismo tá cada vez mais difícil de defender.

Sim, existe mais inteligência no feminismo do que no machismo

Imagino que o machismo tenha surgido na era das cavernas, quando a mulherada buscava sobretudo proteção, e encontrava nos machos da época. Pois, na época, pra sobreviver sem GPS e chuveiro quente, nego tinha que ser macho. Hoje, depois da Revolução Industrial, na era do iPhone colorido e do papel higiênico com aroma de pêssego, ele simplesmente não faz sentido. Aliás, deve ter sido essa comodidade da sociedade moderna que nos fez esquecer da nossa função de protetores. Começamos a achar que contentar o chefe é mais importante do que contentar a esposa, e fomos ficando cada vez menos machos, deixamos de proteger a mulher, e nos transformamos em seus inimigos em potencial (ou na real). E agora reclamamos que as mulheres estão ficando menos femininas?

Quando busquei argumentos em “defesa do macho” contra uma suposta superioridade feminina atual, só encontrei histórias ridículas e conclusões tiradas de falsas teorias, ou verdades científicas sendo descaradamente distorcidas, ou simplesmente o preconceito habitual. Nem vou citar muitos aqui pra não dar ibope, me lembro de um caso em que um rapaz reclamava de sua noiva que “virou feminista”, começou a “fazer escolhas” e decidiu terminar o noivado. O post foi removido da internet, uma pena, mas deixo aqui minhas felicitações ao feminismo pela pequena conquista, quem sabe a moça vai achar um macho de verdade. Se mesmo assim você ainda acha que tem um argumento razoável pra condenar o feminismo, faça o favor de me esclarecer com um comentário abaixo. Pelo pouco que vi até agora, ou a gente vira feminista e busca a união, ou continua machista criando separação, e eu prefiro me colocar do lado da inteligência.

Detalhe de “A Onda”, de Camille Claudel (1903)

Histórias de covardia machista não faltam, e mesmo em esferas de suposta superioridade intelectual. Basta ver o que o machismo fez a mulheres como Camille Claudel, escultora excepcional, e Maria Skłodowska (também conhecida como Marie Curie, que mesmo depois de ganhar o Prêmio Nobel de Física e de Química, continuou sofrendo com o machismo — e com a xenofobia — de seus colegas franceses). E vou parar por aqui simplesmente por vergonha.

Existe uma multidão de talentos mal reconhecidos ou completamente ignorados pela simples razão de ocuparem um corpo de mulher. O feminismo é a única maneira de despertá-los. São as feministas que expõem as barbaridades produzidas pelo machismo. Afinal, se você quiser uma boa descrição de uma martelada, não pergunte ao martelo; pergunte ao prego, que vive tomando na cabeça.

O que mais me atrai no feminismo é que, além de acreditar na mulher, ele aposta muito no homem:

Há quem diga que feministas odeiam homens. Isso é uma mentira sem cabimento. O feminismo não tem NADA a ver com ódio aos homens.
O feminismo ACREDITA nos homens. Acredita que vocês, homens, são seres humanos racionais e capazes de não cometerem um crime. O feminismo acredita que o homem é capaz de se controlar e de responder por sua ações. O feminismo trata os homens com seriedade e respeito. E espera o mesmo em troca.

É o machismo que trata os homens como selvagens irracionais. É o machismo que, ao mesmo tempo em que diz que mulher não sabe dirigir, por exemplo, diz que um homem é naturalmente incapaz de cozinhar ou cuidar de seu bebê.

É o machismo que presume que todos os homens são estupradores em potencial.

O feminismo acredita e defende que tanto homens quanto mulheres são seres humanos racionais e merecedores de igual respeito.

Da Marcha das Vadias de Barretos (SP)

Dicas para a sua adaptação

Como sempre, aguardo sugestões, mas seguem abaixo algumas dicas pra você que também se convenceu de que o feminismo é a melhor saída, mas está com medo do que será do mundo quando até as mulheres da Arábia Saudita tiverem o direito de dirigir automóveis:

1. Como sobreviver ao sexo com uma feminista

Essa é uma dica para os machos de verdade, esses que ousarão e conseguirão ter relações sexuais com mulheres feministas. É provável que o fato dela pensar com o próprio cérebro cause um pouco de desconforto, pois ela também tem fantasias e preferências na cama, na varanda, na praia… A dica é: relaxe e goze. Você nunca mais vai ver o sexo da mesma forma. Palavra de quem vive há quase vinte anos com uma.

Mas se você não se sente tão macho assim, e ainda acha que o sexo é uma busca pour um lugar quentinho pra enfiar o pinto, tirar e contar pros amigos depois, ainda há opções mais baratas e mais práticas do que comprar um carrão e sair à caça nas ruas:

Opção mais barata

Opção mais cara

Como vê, há opções para todos os bolsos e preferências raciais. Com uma (ou várias) dessas e alguns eletrodomésticos, você nunca mais vai se preocupar em encontrar a esposa ideal. Mesmo se você tiver que lavar a roupa no tintureiro, ainda sai mais barato do que uma esposa.

2. Como viver com uma feminista

Uma feminista vai tentar convencê-lo de que ficar vendo TV enquanto ela lava a louça não é legal. Ao invés de perder tempo com brigas, compre uma máquina de lavar louça e, depois do jantar, divirtam-se com a dica 1 acima. Aliás, uma máquina de lavar louça pode ser uma válvula de escape pra você ainda se sentir superior como homem, pois ela só lava bem se a louça for colocada na posição e orientação corretas. Abuse de sua noção espacial mais evoluída e mostre pra ela que a louça fica mais limpa quando é você que enche a máquina toda.
Para todos os outros problemas domésticos, basta seguir o mesmo princípio. Não é tão complicado assim, é só lembrar que você vê pessoas como pessoas, e não como objetos que podem ser convenientes ou nocivos.

3. Como lidar com feministas no trabalho

Sim, uma das lutas mais sérias do feminismo é a igualdade de salários entre homens e mulheres. É óbvio que os patrões justificam as diferenças dizendo que a mulher tem mais motivos e direitos a ausências e por isso sai mais caro contratá-las. Basta lembrar que o lucro de uma empresa é baseado no desempenho da concorrência que você vai perceber como esse argumento é fraco: uma vez que todos os concorrentes obedecem às mesmas leis, e contratam a mesma proporção de homens e mulheres, a diferença de custo está coberta. Aliás, nós é que devíamos tirar mais dias de folga pra ficar com os filhos.

4. O que os outros vão dizer

Ah, “os outros”, o inferno segundo Sartre. Ser macho também significa responder ou ignorar “os outros” quando preciso. Se quer uma sugestão aqui, comece compartilhando este texto — ou escreva o seu — e pode ser que fique mais fácil lidar com eles.

Outras considerações

Pois é, o feminismo tem esse potencial de ajudar homens e mulheres a conquistar a liberdade, e por isso fica fácil entender por que ele é tão difamado por aí. E remar contra a maré nunca foi fácil, e a gente só faz isso quando sabe que é necessário. Remar contra a maré, dar murro em ponta de faca, ninguém faz isso por prazer, nem porque é o jeito mais fácil. Mas tem que ser muito macho pra fazer. Tá na hora de resgatarmos o instinto de homem das cavernas, aquele, macho pra caralho, que matava mamutes pra alimentar a família. Tá na hora de lembrarmos que, apesar de todos os avanços tecnológicos e das ofertas de conforto que tentam nos seduzir a fazer o contrário, o importante mesmo é olhar nos olhos das pessoas que dependem de nós em casa e saber que fazemos o melhor por eles. Tá na hora de ser macho.

Anúncios

um comentário

  1. […] Papai, descobri que sou… FEMINISTA! — PROIBIDO PARA MULHERES – Papai, descobri que sou… FEMINISTA! — PROIBIDO PARA MULHERES – […]

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: