A cegueira branca

Que tempos fantásticos, estes em que vivemos. Com tantos jornais gratuitos, revistas, televisores, computadores, telefones e tablets plugados à Internet,  o acesso à informação nunca foi tão fácil.  Andaríamos superinformados por essa multidão de telinhas que nos cerca. Ou não. Na verdade, somos tão bombardeados de estímulos visuais, que acabamos cegos. É a cegueira branca, como no livro do Saramago. Pior ainda, porque a maioria de nós sequer sabe que está cega, e continua tomando decisões, definindo objetivos e até fazendo sacrifícios baseada no que é levada a “ver” por seus “guias”, a saber os grandes veículos de comunicação. Sem que nos demos conta, nossas preferências e até nossos sonhos são teleguiados.

Mais do que informar, o papel da mídia de hoje é controlar. Ela exerce a função que a Igreja exercia na Idade Média, impondo às pessoas como se comportar, o que vestir – sobretudo VESTIR-SE! – o que devem tolerar e o que devem achar ridículo, o que é “honrado”, certo ou errado. Ou você acha que as pessoas nascem com todas essas preferências?

O sistema não é novo. A ele provavelmente devemos as pirâmides no Egito e no Peru, Stonehenge, as grandes cidades, a Revolução Industrial… Mas por trás desse lado construtor, o sistema também garante que bilhões de pessoas continuem se esforçando para enriquecer – ou manter ricas – alguns milhares. E isso contando com uma reserva de alguns bilhões de miseráveis e famintos que podem a qualquer momento ser ativados para alimentar a máquina. É por isso que, apesar da tecnologia estar sempre evoluindo e o acesso a recursos naturais ser cada vez maior, o número de famintos nunca mudou desde que começou a ser contado. A população aumenta, o número absoluto de trabalhadores também, a produtividade individual também (graças à tecnologia), e assim as grandes fortunas são protegidas.

Sou controlado, e daí?no exit - andy singer

E daí temos bilhões de pessoas que trabalham toda a vida, crentes de que estão fazendo a coisa certa, seja porque creem que também têm que ser ricas, ou por princípio, ou simplesmente pela sobrevivência. E quando sua vida útil termina, a vítima da cegueira branca é descartada e se sente injustiçada, certa de que deveria ter ganho mais por tanto sacrifício que fez. Tem certeza de que quer viver assim?

A cura

Não estou dizendo pra ninguém vestir uma máscara de Anonymous e sair por aí incendiando bancos e explodindo sedes de meios de comunicação. A cura da cegueira branca está dentro de cada um. Basta prestar atenção a seus próprios sonhos e tomadas de decisão. A questão a se colocar é “quem está ganhando com isso?”. Quem está sendo favorecido quando você deixa de tirar férias? E quando você desiste do curso de Teatro pra ir cursar Direito  porque “paga melhor”? O que você quer? Quem quis que você quisesse o que quer? Com que interesse?

“Eye” – M.C. Escher

Difícil? Nem tanto, e dá até pra treinar em casa. Ligue o seu televisor no seu canal preferido e preste atenção aos comerciais. E a cada produto anunciado, pense “realmente preciso disso?”. (Veja que os comerciais mais eficazes sempre tentam despertar suas emoções para convencê-lo a comprar. Porque, se ativarem apenas o seu racional, você provavelmente vai comprar muito menos coisas.)

Um outro exercício, mais difícil, é, a cada jornal televisivo ou matéria lida num portal da Internet, tentar julgar se a reportagem realmente “provou” que o que está dizendo é verdade. Isso requer paciência e um pouco de força de vontade para ir buscar outros meios de comunicação que discutam o mesmo assunto, de preferência em outra língua e de ideologia diferente. Algumas pessoas poderão se surpreender com o quanto as visões podem mudar de um país para o outro. Notícias boas podem virar catastróficas. Mas isso é assunto para outro texto.

Por enquanto apenas tente manter-se consciente. Somos facilmente convencidos quando não estamos conscientes, quando não tomamos uma distância adequada pra analisar a situação e prever aonde nos leva uma determinada decisão. Mas, conscientes ou não, sempre tomamos decisões. A sua vida é curta, mas pode ser sua.

Aviso: se depois de ler este texto você tem sintomas como náuseas, tontura e taquicardia, clique aqui ou aqui e os sintomas desaparecerão. Mas clique logo!

Anúncios

3 Comentários

  1. […] ou muçulmano, a verdadeira mudança tem que vir de baixo, ou seja, de nós mesmos. Temos que perceber o que queremos realmente como progresso e agir de acordo. Isso não quer dizer que não devemos nos […]

  2. […] serem machistas. O exército machista recruta sem que a gente se dê conta. Isso faz parte da cegueira branca que o feminismo ajuda a curar, e se você tem um mínimo de consciência, vai ver que o machismo tá […]

  3. […] imagens que não foram mostradas, muito sigilo pra ser quebrado, e a poluição é muito grande, tão grande que ofusca a vista, mas mesmo assim a humanidade está com tudo na mão pra dar uma boa virada antes de cair no […]

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: